Homem com pegada

 

Obs.: Essa crônica faz parte do livro “Loucura de Estimação” pela e-galáxia.

Sempre que ouço a frase “homem de verdade tem de ter pegada”, repetida à exaustão em bares e aplicativos de paquera ou em qualquer esquina em que o assunto seja ventilado, me pergunto: mas afinal o que é um homem com pegada?

No senso comum, homem com pegada é um cara que pega a mulher com força na hora do sexo. Hum, isso me parece moleque contando vantagem das suas falsas conquistas para os primos mais novos. Muitos meninos crescem ouvindo conselhos estúpidos de primos ou amigos mais velhos como “pegue na cabeça dela e a force a engolir seu pau: ela vai pirar!”. Não, a gente não pira. E o quanto de força se usa no sexo é algo muito pessoal, uma sintonia fina, uma descoberta que se faz a dois com cuidado e não uma receita popular.

Sabe o que é um homem com pegada para mim? Homem com pegada é aquele que te pega no colo quando você precisa – e quando não precisa também.

Homem com pegada pega um dente de leão num canteiro à beira do caminho porque sabe que você gosta de assoprá-los; pega na sua cintura para te proteger na multidão, pega um resfriado porque te agasalhou com sua jaqueta quando a tempestade caiu.

Homem com pegada pega sopa fumegante na padaria para te aquecer no inverno, pega pão com mortadela porque é gostoso subverter o jantar, pega picolé de fruta para te refrescar no calor.

Homem com pegada pega os filhos na escola, pega os edredons na lavanderia, pega o carro pra te buscar na porta do metrô em dias de chuva.

Homem com pegada pega nos seus cabelos para fazer cafuné, pega nos seus ombros para fazer massagem, pega no seu rosto para assoprar um cisco que te incomoda.

Homem com pegada, no sexo, sabe como, quando e com quem pegar fogo – e pega!

Sobretudo, um homem que verdadeiramente tem pegada não precisa fazer alarde das suas qualidades: ele simplesmente é.