A arte não pode sofrer.

blog1“A arte não pode sofrer”, por Stella Florence

Amigos meus, artistas preciosos, vem sendo agredidos nas redes sociais por conta de suas opiniões políticas, sejam elas quais forem. Fernanda Takai, por exemplo, recebeu ofensas de fãs que acompanhavam seu trabalho havia vinte anos e que agora jogam toda sua obra no lixo. Vamos pensar um pouco a respeito.

Imagine que você seja corintiano e que, a partir de agora, só vá consumir arte feita exclusivamente por corintianos. Faz sentido?

Se formos ouvir músicas, assistir filmes, admirar quadros, prestigiar peças ou ler livros apenas de quem concorda com nossas opiniões, nosso consumo de arte irá se reduzir drasticamente e em pouco tempo estaremos andando de quatro.

Quem foi a favor do impeachment não pode mais ouvir Chico Buarque? Quem foi contra ele não verá mais novelas com Regina Duarte? Quem não tolera a violência contra a mulher se recusará a assistir os filmes do Johnny Depp? Não vamos mais ler ou encenar Nelson Rodrigues por ele ter sido um reacionário folclórico? Quem é comunista não verá nenhum dos filmes do Elia Kazan? Quem foi a favor da guerra no Iraque não prestigiará as atuações de Susan Sarandon? Quem tem horror aos ditadores latino americanos vai botar fogo nos livros de Gabriel García Márquez? Quem come carne vermelha nunca mais escutará Paul McCartney? Poderíamos seguir com esta lista por anos a fio!

Toda arte fica comprometida se usarmos como legitimação dela opiniões pessoais daqueles que as compuseram. Os artistas têm o direito de pensar diferente de nós e sua arte não pode sofrer com isso, caso contrário perderemos muito mais do que o prazer e a amplitude que a arte nos proporciona: perderemos nossa humanidade.

Stella Florence